quarta-feira, 5 de novembro de 2008

1º EP (1964)


RAPSÓDIA - EPF 5.242 - 1964

Serei Feliz Com O Teu Amor - Oh Rosa Arredonda A Saia - Tartária - Valsa Da Meia Noite

Além dos Titãs, pelo menos, o Norte contribui igualmente para o ié-ié instrumental português com os Tártaros, um ié-ié populista como o definiu António Duarte no seu livro 25 Anos de Rock 'N Portugal.
No dia 03 de Outubro de 1965, no Monumental, em Lisboa, conquistaram o segundo lugar da 10ª eliminatória do Concurso Yé-Yé com 37 pontos, atrás dos Guitarras de Fogo, da Costa da Caparica.

Eram então formados por Eduardo Alves, 19 anos, bateria, Hernâni de Melo, 25 anos, viola baixo e harmónica, Alberto Abreu, viola ritmo e órgão, e Joaquim Gualter, 20 anos, viola solo.

No palco, tocaram "Apelo", "Vento", "Pistoleiro", "Sonho dum Poeta", "Beijos Teus" e "Engano". As 4 últimas canções compõem o terceiro EP do conjunto que saiu no ano seguinte (RAPSÓDIA - EPF 5.282 - 1966).

Depois, na primeira meia-final, no dia 08 de Janeiro de 1966, os Tártaros ficaram-se pelo 5º lugar com 30 pontos. Esta meia-final foi ganha pelos Sheiks, com 49 pontos.

O primeiro EP (na imagem) foi publicado em 1964 e é o seu mais conhecido. Na contracapa, escreveu Ribeiro Lisboa:

Não são, nem por "SOMBRAS", uma nova máxima da música moderna. São sim, um máximo de consagradas interpretações de características tão variadas, tão diferentes, às quais faltava esta: - "GUITARRAS ELÉCTRICAS" - instrumentos da nova vaga que fazem ressurgir, para a juventude, a música eternizada.

Indubitavelmente, êles - "TÁRTAROS" - são arautos de novas antiguidades.
Depois deste EP publicaram um segundo no mesmo ano, 1964, com "Encanto Dos Teus Olhos", "Lamento", "Já Não Te Quero" e "Fim De Férias" (RAPSóDIA - EPF 5.250).

O quarto e último foi editado em 1967 com "Magic Moment", "Não Quero Ir À Tua Festa", ""Since I've Lost My Mind (For You) e "Não Quero Nada".

Além da colectânea Recordando... já aqui referida e dos dois primeiros e únicos volumes da colecção Portuguese Nuggets, a Edisco publicou em CD em 1997 uma colectânea, "Valsa da Meia-Noite", com 10 trechos do conjunto (EDISCO - ECD 7), e em 1998 a compilação "Rock do Porto - 1965/1968", com quatro temas (EDISCO - ECD 89).

Assim, dos 16 trechos dos Tártaros, apenas dois - "Fim de Férias" e "Já Não Te Quero", ambos do segundo EP - não estão oficialmente vertidos digitalmente.

8 comentários:

Jack Kerouac disse...

Os Guitarras de Fogo não eram do Liceu Camões ?

Anónimo disse...

E não se pode fazer uma compilação??!!

um Best of?!!!

será que o amigo rato não estará disposto a isso?!! (se tiver o material, claro).


vitor martinez

Rato disse...

Olá Vítor
Tenho realmente as duas compilações editadas em CD pela editora EDISCO do Porto. No entanto, e tirando alguns temas, a qualidade é medíocre e por isso mesmo não consigo fazer uma compilação que me satisfaça. Prefiro ir metendo os temas de melhor qualidade nas coleções do Rato.

Debora disse...

Ora aqui está um "malhete"!

Dos meus EPs favoritos do Ié-Ié luso. Da capa à explosão sonora surf-garage! Vibro especialmente com a faixa "Tartária"...

E os Tártaros brasileiros da Jovem Guarda, companheiros? Nunca ouviram? De charneira. Eram editados pela Mocambo (Recife) e faziam furor em 1967. Tenho na mão um exemplar, autografado pela banda, do single "És para mim o que sempre quis/Sou feliz com você".

filhote disse...

Por distracção, não mudei a conta Google em uso no meu computador, e por isso o meu texto saiu com o cabeçalho DÉBORA. Enfim, como já não encontro aqui nos comentários o "caixote de lixo", assim ficou.

Ou seja, como alguns terão imediatamente entendido, o comentário anterior é mesmo meu. Do "vosso" Filhote.

daniel bacelar disse...

AH!AH!AH!
Com que então DÉBORA!!!!!!
OH PEDRO!!FRANCAMENTE!!!

Jack Kerouac disse...

Um era a Rosa, o outro é a Débora...isto tá bonito oh Daniel, no próximo jantar quero ficar de costas para a parede !!

filhote disse...

Ahahahahah!!!!