sábado, 15 de novembro de 2008

JOSÉ MANUEL CONCHA

Em nova incursão pelo Boteco, foi encontrada, além de outras coisas, um disco do José Manuel Concha, cuja capa se anexa. O José "Manel" Concha foi uma paixoneta de uma querida minha, pelos 15 anos, mas agora é que eu fiquei com a rifa.

Para mim, o disco tem um problema, porque tem isto escrito: “Ao meu amigo João Paulo Diniz, com amizade, estima e admiração - O Amigo José Manuel Concha".

Isto está a acontecer todos os dias, encontramos livros e discos com dedicatórias de grande amizade à venda na feira da ladra ou neste tipo de lojas.

No mínimo, incomoda-me (a mim também amigo, não concebo que alguém se desfaça de um objecto que lhe foi oferecido, ainda por cima com dedicatória - a não ser que tivesse sido roubado!).

Ainda por cima, estão ambos vivos...

O disco é da Lusosom SG-504 e é um disco promocional.

Cortesia de Gin-Tonic

8 comentários:

filhote disse...

A propósito de dedicatórias, comprei aqui no Rio de Janeiro, na Discoteca Tropicália, um "Pano Cru" com dedicatória do Sérgio Godinho para o Chico Buarque. Neste caso específico, não fiquei nada incomodado.

Estou de acordo, Hugo e Ié-Ié, não concebo que se vendam objectos oferecidos com dedicatória. Aliás, tenho o "Pano Cru" autografado pelo Sérgio para mim, e jamais o "passarei"!

JC disse...

Hugo:

Mas eu conheci o João Paulo Diniz, se é o mesmo e não estou equivocado. Trabalhava na rádio, não me lembro em qual, talvez nos "minhocas", e depois cruzou-se comigo na tropa. Ele era furriel e estava ligado tb aos programas de rádio do exército. Penso que será o mesmo!

gin-tonic disse...

Se estamos a falar da mesma pessoa, caro JC, trata-se de quem, no dia 24 de Abril de 1974, na onda dos "Emissores Associados de Lisboa" diz que faltam cinco minutos para as 23,00 horas e anuncia a canção de Paulo de Carvalho, "E Depois do Adeus" e que marca o inícioa das operações.

Karocha disse...

A mim roubaram-me vários discos com dedicatória, resultado não deixo que me roubem mais nada, nem a alma!

JC disse...

Esse mesmo!

daniel bacelar disse...

Realmente é triste a consideração que as pessoas acabam por demonstrar não ter com o passar dos anos.
De qualquer maneira é um prazer rever o Zé Manel (como era há uns anitos,agora estamos mais velhotes)
Se leres isto,um grande abraço e muitas recordações de tempos que já não voltam atrás (já passaram 48 anos desde no noss E.P. "caloiros da canção") O Fernando é que infelizmente já não está entre nós.
Entretanto é com alguma mágua que vejo aquele programa "A minha geração"quando foi dedicado aos anos 60,nem uma referência .....
Enfim,temos o que merecemos,e um bom par de pernas não faz uma bôa apresentadora muito menos uma jornalista
Oh Joaquim,podias ter dado uma achegazinha á tua filha,e talvêz ela não fizesse uma figura tão ridicula como faz todas as semanas.
Aquela de passar o tempo tôdo da entrevista ao João Vasco Mora a chamar-lhe Moura,demonstra bem que a "piquena" domina a situação e revê a matéria dada.

Victor disse...

Oi Daniel
Realmente tens razão, nem uma simples referencia, é vergonhoso,enfim, é como tu dizes "temos aquilo que merecemos"
vi o zé manel á cerca de 5 anos, não nos falamos porque eu estava com pressa, os cabelitos brancos não moravam lá ah!ah! sempre jovem. Quando tocámos no tosco em 70, ele com o Tó Bandeira e eu com os Steamers,já era assim, aliás, sempre foi assim,e fico feliz que assim seja. Zé Concha se leres isto, deixo aqui um grande abraço cheio de saudades.
Carocha

carla moreira disse...

Boa noite Sr.Daniel Bacelar,queria ajuda sua para encontrar o José Manuel Concha,neste momento entrei em contacto com a tvi e com alguns programas dessa mesma televisão mas ainda não obtive resposta.é urgente
Se pudesse ajudar-me de alguma forma se tiver alguma informação do paredeiro do José Concha,agradecia