segunda-feira, 24 de novembro de 2008

NATÉRCIA BARRETO: EDIÇÃO PORTUGUESA


PARLOPHONE - LGEP 4039 - edição portuguesa

Vem Meu Amor (Delilah) - Felicidades (Congratulations) - Triste e Só (Love Is Blue) - La La La

14 comentários:

Anónimo disse...

A Techa também não mereceria a etiqueta YÉ-YÉ MOÇAMBIQUE :)

nbfã disse...

Ela esteve cá em Portugal para participar no programa Minha Geração. Foi há coisa de duas semanas.

Rato disse...

Cantou os "Óculos de Sol" (o tema que a tornou famosa, apesar dela própria não ter grande apreciação pelo dito) e depois foi despachada em três tempos pela Furtado.
Perdeu-se assim, e infelizmente, uma ocasião única de se lhe poder fazer uma entrevista histórica atendendo ao passado da Techa.
Mas como todos sabemos as televisões estão, todas, recheadas de incompetentes.
Será que a imprensa escrita aproveitou a oportunidade de lhe ter feito uma entrevista condigna?

Anónimo disse...

E não há nenhum colaborador deste blog que possa ter acesso ao contacto da "TECHA" para lhe fazer essa entrevista histórica

JC disse...

Rato: A Natércia Barreto (que já deve ser avó!) é conhecida de 1/2 dúzia de "maduros" (claro que o 1/2 dz é uma forma de expressão) como nós, que comentamos aqui neste "blog". A RTP1 (acho que o programa se passa aí - nunca vi) é um canal generalista, que luta por maximizar as audiências e onde, portanto, tudo o que fosse a mais do que os "Óculos de Sol" estaria deslocado e não interessaria por aí além aos telespectadores. Penso que essa tal entrevista seria algo bem mais adequado para a RTP Memória, ou para um (ainda) inexistente canal de música portuguesa.
Abraço

Rato disse...

Discordo completamente, JC. A Natércia Barreto não é conhecida apenas por 1/2 dúzia de "maduros", esqueces-te seguramente do êxodo que houve após o 25 de Abril de Moçambique para aqui. Toda essa gente (e a grande maioria poderá mesmo não ter acesso ao Canal Memória) sabe muito bem quem era a Techa em Moçambique. E como ela se radicou na África do Sul todos estes anos, perdemos-lhe o rasto por completo. Seria portanto muito interessante ouvi-la contar esses pedaços de vida.
Mas não foi caso único. No mesmo programa foi também entrevistado o João Vasco Mora, que na altura eu não conhecia de nenhum lado. Fiquei depois a saber ter sido ele a tocar pela 1ª vez um disco dos Beatles ("Love Me Do") na rádio. Depois, quando a entrevista estava realmente a interessar (ainda por cima o senhor tinha o poder da comunicação), a Furtado mandou-o também embora.
Mas numa coisa tens razão: a RTP1 tenta realmente maximizar as audiências. Só que as audiências do supérfluo e da estupidez.

Jack Kerouac disse...

Aliás, aquele programa só faz sentido se tiver também algum interesse histórico. Por isso teria sempre interesse em aproveitar para dar a conhecer mais algumas pessoas que fizeram história no nosso país. Assim nem é carne nem é peixe.

Anónimo disse...

Tanto quanto se sabe, foi a RTP que convidou a Natércia Barreto a vir da África do Sul para participar naquela "coisa" que alguém entendeu por bem apelidar "A Minha Geração". Ou seja, devem ter-lhe pago a passagem e respectiva estadia.
Acho que lhes tinha saído muito mais em conta se tivessem apenas requisitado à senhora uma fotografia actual. Ampliavam-na e punham os "Óculos de Sol" em playback. O efeito não seria assim muito diferente do que depois aconteceu.
Mas ainda bem para a Techa, que assim aproveitou o convite para umas mini-férias em Portugal.

JC disse...

Tens razão, de facto esqueci-me desse pormenor das pessoas que vieram de Moçambique. Por cá, reafirmo, só era mesmo conhecida por "maduros" como nós. Mas a RTP, tal como as outras "generalistas" são para as "massas" e estas não primam pela inteligência. Por isso, excepto o telejornal da RTP (nem sempre), a "bola" e um ou outro programa de informação, tb na RTP (quando me interessa), passo-lhes ao lado.Daí nunca ter sequer visto tal programa. Mas, já que falaste de Moçambique e dos que de lá vieram, se calhar até havia mercado para um CD (colectânea) com intérpretes desse tempo. Pelo que já vi aqui no blog - e mesmo no teu, coisas da África do Sul - até poderia existir algum material interessante.

cruz disse...

A Catarina Furtado é uma boa apresentadora mas não é para este tipo de programas

Falta-lhe cultura pop

Anónimo disse...

A Catarina começou realmente por ser uma presença bem "fresca" na televisão, independentemente do tipo de programa que apresentava. Filha de quem é, antevia-se até uma bela carreira. Mas depois, e como tantos outros, "generalizou-se". E hoje é o que se vê.

Anónimo disse...

gostaria de contactar com a Natercia Barreto.alguem pode dar-me o seu contacto?obrigado

Valdemar disse...

Como admirador e pelos quase seis anos de Moçambique adorava saber se a Natércia Barreto é viva e onde se encontra.
Obrigado a quem souber.

ié-ié disse...

Tanto quanto sei, Natércia Barreto é viva e trabalhará na embaixada de Portugal na África do Sul.

LT