terça-feira, 23 de Setembro de 2014

95 ANOS DE "OS BELENENSES"


Esta placa já não existe...

BRIAN JONES COM JORNALISTA PORTUGUÊS


Pelo menos um português, João Van Zeller, ex-administrador da TVI, esteve com Brian Jones, dos Rolling Stones, e falou com Mick "Yagerd".

Foi no final do concerto inaugural da digressão de 1966, no Royal Albert Hall, em Londres, no dia 23 de Setembro, faz hoje 48 anos.

Numa recepção no Kensington Palace Hotel, Mick "Yagerd" confessou que nunca esteve em Portugal, mas que gostaria de visitar o País.

Brian Jones, um dos Stones mais populares, assim como os seus companheiros, transmitiram-nos impressões muitos semelhantes às de Mick Yagerd, tendo manifestado também o seu desejo de visitar o nosso país.

Milionários, casar-se-ão, passarão ao esquecimento e viverão o resto da sua vida bem apoiados nos resultados que lhes foram proporcionados por uma estrutura social que a nós, portugueses, nos surpreende e, por vezes, nos choca.


Quem diria...

segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

MENINO DE OIRO


RCA VICTOR - TP-161

O Beijo Que Tu Me Deste (Álvaro Duarte Simões) - La Bamba (tradicional) - Menino D'Oiro (José Afonso) - Alma Llanera (tradicional)

Quando José Afonso leccionava na Beira (Moçambique) jantou com o Trio Odemira e ofereceu-lhes um caderno com canções ainda inéditas, dizendo-lhes para escolherem e gravar.

O Trio Odemira escolheu "Menino de Oiro" e foi com surpresa que viram o disco apreendido mais tarde.

Fonte: "Bodas de Ouro - Trio Odemira - 50 Anos de Canções", textos de Carlos Costa, Edições Época de Ouro, 2007.

UMA INTERESSANTE EDIÇÃO PERUANA


ODEON DEL PERU - PMC 1230 - edição peruana, capa sanduiche à brasileira (1964)

Lado A

A Hard Day's Night - I Should Have Known Better - If I Fell - I'm Happy Just To Dance With You - And I Love Her - Tell Me Why - Can't Buy Me Love

Lado B

Any Time At All - I'll Cry Instead - Things We Said Today - When I Get Home - You Can't Do That - I'll Be Back

A capa é única!

domingo, 21 de Setembro de 2014

HISTÓRIA DOS BEATLES


New Musical Express, 21 de Setembro de 1968.

GEORGE IS A ROCKER AGAIN!


NME, 21 de Setembro de 1968

RESTAURANTE NICOLA


Rossio, 24/25, Lisboa - 213 460 579

O bife não é mau, mas é caro: vazia (16,5 €), pojadoro (14,80 €) e o vinho da casa nem se fala: 15,50 € (Assobio Douro).

sábado, 20 de Setembro de 2014

STEEL WHEELS


ROLLING STONES RECORDS - CBS 465752-1 - 1989

Side One

Sad Sad Sad - Mixed Emotions - Terrifying - Hold On To Your Hat - Hearts For Sale - Blinded By Love

Side Two

Rock And A Hard Place - Can't Be Seen - Almost Hear You Sigh - Continental Drift - Break The Spell - Slipping Away

Há duas canções cantadas por Keith Richards, "Can't Be Seen" e "Slipping Away", que marcam a reconciliação entre Mick e Keith, após cerca de 3 anos de desavenças.

O LP, o 39º  da carreira dos Stones, foi posto à venda em Portugal faz hoje 25 anos.

ABBEY ROAD


New Musical Express, 20 de Setembro de 1969, há 45 anos!

BEATLES NA 1ª PÁGINA


Hoje, no "Diário de Notícias", duas páginas no suplemento Q.

O QUE ERA PARA SER UM FILME...


New Musical Express, 20 de Setembro de 1969, há 45 anos!

sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

FRANCE GALL


PHILIPS - 434.874 BE - edição francesa

N'Écoute Pas Les Idoles (Serge Gainsbourg) - Ne Dis Pas Aux Copains - Les Rubans Et La Fleur - Si J'Étais Garçon

TWIGGY FAZ HOJE 65 ANOS


ÉL/CHERRY RED RECORDS - ACMEM56CD - 1968/2005

When I Think Of You - Beautiful Dreams - I Need Your Hand In Mine - Over & Over (Twiggy) - Here I Am - You Will Want Me - Open Up Your Heart - Bad Time To Stop Loving Me - Pick Up My Heart - Better Than Losing You - Wishful Thinking (Linda Thorson)

quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

EMPTY SKY


DJM - 22086

Side 1

Empty Sky - Val-Hala - Western Ford Gateway - Hymn 2000

Side 2

Lady What's Tomorrow - Sails - The Scaffold - Skyline Pigeon - Gulliver-Hay Chewed-Reprise

Produção de Steven Bown.

Um belo disco, é o primeiro álbum de Elton John, de 1969.

MORENA, MORENITA


EMI - 1775237 (1984)

Morena, Morenita (Costa Cordalis/Jean Frankfurter/António José) - Mulher Sonhada (M. Mistretta/Danovak/António José)

Foto de Luís Vasconcelos (pai de Joana Vasconcelos), produção de Mário Martins.

quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

ARTE & OFÍCIO


ORFEU - KSAT 600 (1977)

The Little Story Of Little Jimmy (A. & O./Sérgio Castro) - Quibble (A. & O/Sérgio Castro)

Gravado nos Estúdios Arnaldo Trindade, nos dias 24 e 25 de Junho por Moreno Pinto e Manuel Cunha. Misturado no dia 15 de Julho por Moreno Pinto e Sérgio Castro.

Capa de João Cordeiro, contracapa de Sérgio Castro, fotos de Sérgio Castro e Maria Manuel.

ANTÓNIO BERNARDINO


ALVORADA - AEP 60818

Canção das Fogueiras (popular/arranjo de António Portugal) - Rosas Brancas (Armando Gois) - Canção do Alentejo (popular-Edmundo Bettencourt) - Fado dos Passarinhos (António Menano)

António Bernardino é acompanhado por António Portugal e Manuel Borralho à guitarra e Rui Pato à viola.

terça-feira, 16 de Setembro de 2014

OS BEATNICKS DE MOÇAMBIQUE


Os Beatnicks foram um grupo musical originário de Lourenço Marques/Moçambique, idealizado e criado pelo seu primeiro e excelente vocalista, Carlos Duarte (aka Ass), formado em meados de 1965, tendo ao longo da carreira sofrido várias metamorfoses, como na generalidade dos grupos. 

Por volta de 1965, já Carlos Duarte andava a congeminar o nome para um grupo, influenciado especialmente pelos Beatles, pretendendo para tal, um nome algo semelhante. 

Em termos sociais, os “beatniks” foram um movimento sócio-cultural iniciado nos anos 50 e princípios dos anos 60 que subscreveram um estilo de vida anti-materialista, na sequência da 2.ª Guerra Mundial.

O autor Jack Kerouac introduziu a frase "geração Beat" em 1948, generalizada do seu círculo social para caracterizar o submundo da juventude anti-conformista, reunida em Nova Iorque naquele tempo.

Foi sem dúvida um “movimento” existencialista, com maior incidência nos EUA e na Europa e com claras influências sociais, como por exemplo no modo de vestir (roupa apertada, de cor escura, botas apertadas e esguias, calças pretas), em que a juventude gostava de mostrar a sua oposição às regras estabelecidas.

Os locais de encontro eram os chamados “Beat” e, como tal, “Beatniks”, que elegeram como suas estrelas, Bob Dylan e outros músicos do mesmo estilo.

Carlos, acabou por copiar o nome, acrescentando-lhe no entanto um “c” ao “k”, ficando finalmente Beatnicks.

Os dois primeiros elementos dos Beatnicks foram Carlos Duarte (vocalista) e Jorge Estrela (baixista) que se tinham conhecido aproximadamente entre 1964 e 1965. O conhecimento surgiu através de um amigo comum, Zé Gonçalves (o Merceeiro).

Carlos e Estrela eram apaixonados por guitarras e ambos adoravam Bob Dylan e canções de protesto.

Em 1966, conheceram Ricardo Fernandes que gostava de tocar bateria (embora, até então, se tivesse sentado muito pouco tempo em frente de uma).  Passaram-se uns meses e no final de 1966 decidiram que iriam tocar numa festa de fim de ano.

O irmão de Carlos Duarte (Tomaz) entrou em contacto com o dono (o grego) do restaurante/salão de chá Kassimatis, na Matola (localidade na periferia de Lourenço Marques), para formalizar a actuação do grupo.

Nessa altura, faltava menos de um mês para o Ano Novo (66/67) e Carlos conheceu Zeca Vedor, elemento ligado à Associação Africana da cidade e que tocava viola ritmo. Por sua vez, Zeca tinha também um amigo músico, Faruk, excelente viola solo e, sem dúvida, o mais capaz como músico.

Nesta altura, a formação original do grupo era a seguinte: 

Carlos Duarte – vocalista 
Jorge Estrela – viola-baixo (estudante universitário) 
Ricardo Fernandes – baterista 
Faruk – viola-volo (talentoso guitarrista) 
Zeca Vedor – viola-ritmo 

Começaram a ensaiar em casa do Ricarde (junto ao Hotel Girassol), mas os instrumentos eram precários e praticamente inexistentes, assim como a aparelhagem de som. Tocavam com violas acústicas, cantando as músicas em voga que passavam na LM Radio, os últimos êxitos do hit parade, como os Beatles, os Rolling Stones, os Monkees e outros grupos beat da época. 

Na noite da passagem de ano conseguiram arranjar uma bateria emprestada, meio “fanhosa” que pertencia à Associação Africana. Descobriram também um microfone com uma coluna no Restaurante Kassimatis. O seu repertório era diminuto e cingia-se a cerca de 20 músicas, sendo uma ou duas de Roberto Carlos.

Foi com esse repertório que tocaram toda a noite e os clientes presentes dançaram, cantaram, divertiram-se e gostaram da “banda”.

No dia seguinte, pela cidade, começou o falatório sobre o grupo do “ASS”, entre a juventude laurentina.

Pouco depois, Carlos Duarte apercebeu-se que Joe Mendes (que tinha sido vocalista dos Corsários, um famoso grupo da cidade) e que nessa altura se andava a candidatar a “empresário”, queria falar com ele. No encontro, Joe questionou Duarte se o grupo gostaria de actuar no primeiro “Encontro da Juventude” que iria realizar-se no Pavilhão do Sporting de Lourenço Marques, no dia 22 de Janeiro de 1967.

Mais uma vez a decisão e a preparação se tornava difícil, uma vez que a falta de uma aparelhagem e instrumentos capazes se mantinha. Mas a ideia foi para a frente e a participação do grupo correu bem e com sucesso. O público invadiu o recinto com gritos efusivos de alegria e com cartazes! Uma das músicas que mais impacto teve nesse show foi “Ticket To Ride”, dos Beatles e segundo Carlos Duarte, a casa veio a baixo! 

Os Beatnicks originais duraram menos de um ano e tinham a composição já referida. No entanto, o conjunto “quebrou” no final de 1967, quando do referido Concurso Yé Yé “Encontro da Juventude”, promovido pelo M.N.F., tendo ficado na 5ª posição. Começaram a surgir ofertas e propostas para Carlos Duarte se juntar a outras bandas mais prestigiadas e profissionais e este acabou por se juntar aos Corsários que nessa época já tinham bastante fama e sucesso.

Sem dúvida que o êxito inicial do grupo se deveu essencialmente à perseverança e ao impacto do seu excelente e endiabrado vocalista Carlos Duarte, um showman por natureza: extrovertido, meio “desatinado”, sempre disposto a saltar do palco e permanentemente acrescentando mais alguma coisa às suas actuações, diversificando, inovando, colocando o seu cunho pessoal, a sua assinatura em cada música, em cada actuação e interpretação das músicas em voga.

Os temas eram cantados com alma, com o som e a harmonia aproximados ao original, com um toque de rock progressivo e soul como em “Nineteenth Nervous Breakdown”, dos Stones que punha o público em delírio

Mesmo com o regime político vigente na época, a juventude queria quebrar as correntes…O ambiente nacional (guerra colonial) e o internacional (Vietnam) fazia com que a juventude se apercebesse das mudanças em curso. “With God On Our Side”, de Bob Dylan era uma espécie de hino, a desafiar os poderes estabelecidos. 

Carlos Duarte deslocou-se também à cidade da Beira, acompanhado pela sua guitarra acústica e actuou num show, cantando com sucesso “The House Of Rising Sun”…foi uma pequena loucura, segundo nos confidenciou.

Se é verdade que com a saída nesse ano de Carlos Duarte para os Corsários foi um rude golpe para o grupo, os Beatnicks no entanto não baixaram os braços nem pararam, dando continuidade ao projecto. 

Assim, entra Duarte Nuno (estudante e posteriormente membro da "Onda Pop", suplemento musical do jornal Notícias de Lourenço Marques) para vocalista, onde permanecerá por pouco tempo (cerca de 6 meses).

Pouco depois, é também integrado Ricardo Vaz Monteiro como organista, bastante activo e expressivo em palco, como daquela vez em que saltou para cima do órgão em plena actuação num dos programas que se efectuavam aos domingos à noite no auditório do RCM.

No final de 1967, Duarte Nuno (por imperativos dos seus estudos), assim como Vaz Monteiro, deixam a banda. Algum tempo depois, também Jorge Estrela abandona o grupo. Entra para vocalista Jerry, ao qual se juntou também Sebastião (“Sebas”, organista), passando Zeca Vedor para viola baixo.

Foi nesta etapa da vida do grupo que este se reequipou com os seus próprios instrumentos, material esse que, segundo Duarte Nuno, foi adquirido na Casa Somorel, como por exemplo a aparelhagem de som ou as violas e amplificadores “Vox”, excelentes na época, criando assim uma boa autonomia para o grupo.

Apesar das alterações, com as movimentações e com os novos elementos, o grupo ainda assim manteve a sua actividade com bastante qualidade.

A banda continuou a carreira, evoluiu, por vezes alterando o seu estilo, mas mantendo-se em actividade até ao 25 de Abril/74 quando alguns dos seus elementos regressaram a Portugal onde continuariam a tocar por mais alguns anos. 

Que nós tenhamos conhecimento, infelizmente o grupo nunca editou qualquer disco. No entanto, sabemos que foi gravado ao vivo, com a participação desta banda, um programa em directo que ia semanalmente para o ar aos domingos à noite no auditório do Rádio Clube de Moçambique (R.C.M.) e onde eram apresentados grupos da cidade (um por semana). A existir essa gravação, tornar-se-á no único registo áudio do grupo. 

Por falta de fontes de informação, não conseguimos apurar ou confirmar a passagem/integração e/ou a época em que o guitarrista Carlos da Silva Pereira (já falecido) tivesse feito parte do grupo.

Colaboração de Carlos Santos

JACQUES DUTRONC


"Século Ilustrado", 31 de Dezembro de 1966

LOVE YOU LIVE


EMI RECORDS - 11C 178-63080 - edição portuguesa (1077)

Side 1

Intro - Honky Tonk Women - If You Can't Rock Me - Get Off Of My Cloud - Happy - Hot Stuff - Star Star

Side 2

Tumbling Dice - Fingerprint File - You Gotta Move - You Can't Always Get What You Want

Side 3


(El Mocambo Side)

Mannish Boy - Crackin' Up - Little Red Rooster - Around And Around

Side 4


It's Only Rock 'N' Roll - Brown Sugar - Jumping Jack Flash - Sympathy For The Devil

segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

BLUE MOVES


THE ROCKET RECORD COMPANY - OC 158-98 293/4 - edição britânica (1976)

Side One

Your Starter For...
Tonight
One Horse Town
Chameleon

Side Two

Boogie Pilgrim
Cage The Songbird
Crazy Water
Shoulder Holster

Side Three

Sorry Seems To Be The Hardest Word
Out Of The Bue
Between Seventeen And Twenty
The Wide-Eyed And Laughing
Someone's Final Song

Side 4

Whete's The Soorah?
If There's A God In Heaven (What's He Waiting For?)
Idol
Theme From A Non-Existent TV Series
Bite Your Lip (Get Up And Dance!)

David Crosby e Graham Nash participam no álbum ("Cage The Songbird", "The Wide-Eyed And Laughing").

Comprado em Genebra em 1976 por 24 francos suiços.

NATÉRCIA BARRETO - ANGOLA


PARLOPHONE - 8E 016 40195 M - edição angolana

O Caminho do Pai (Le Chemim de Papa) (Pierre Delanoé/Joe Dassin/João Bacelar) - Preciso de Olhar As Estrelas (Il Faut Regarder Les Étoîles) (Michel Delpech/Roland Vincent/António José)- Tudo Acontece Por Ti (I Dream Of Naome) (Tirza Atai/David Krivuskei/António José) - Champs Elisées (Pierre Delanoé/Wilsh Deighan/João Magalhães Pereira)

Arranjo e direccção de orquestra de Robin Netcher.

A edição portuguesa está aqui.

THE US ALBUMS SAMPLER


SELECTIONS FROM THE BOX SET "THE US ALBUMS" OUT JANUARY 20, 2014 - FOR PROMOTIONAL USE ONLY. NOT FOR SALE

I Want To Hold Your Hand (stereo) - All My Loving (mono) - Money (That's What I Want) (mono) - She Loves You (mono) - If I Fell (stereo) - And I Love Her (mono) - Matchbox (stereo) - Any Time At All (mono) - A Hard Day's Night - Their First Movie (stereo) (spoken word) - I'll Be Back (mono) - Everybody's Trying To Be My Baby (stereo) - P.S. I Love You (mono) - Please Please Me (stereo) - Tell Me What You See (stereo) - Every Little Thing (mono) - Help! (stereo) - I Need You (mono) - In My Life (stereo) - You Won't See Me (mono) - Drive My Car (stereo) - What Goes On (mono) - I Want To Tell You (stereo) - Here, There And Everywhere (mono) - Rain (stereo) - Hey Jude (stereo)

ANGELUS


Praça Duques de Palmela, 11, Santana (Sesimbra) - 212 681 340

Do meu ponto de vista, continua a ser o melhor fondue de carne.

A FEIRA DA LUZ TEM SURPRESAS...