terça-feira, 22 de janeiro de 2008

ANIMALS EM LISBOA


Os Animals tocaram em Lisboa, no Teatro Monumental, no dia 07 de Dezembro de 1965, com uma primeira parte preenchida por Gino Paoli, criador de "Sapore di Salle".

Que estranha combinação!

Os dois concertos - ás 18H30 e às 20H00 - foram apresentados por Henrique Mendes.

Os Animals eram classificados pela publicidade como "os fabulosos, os populares, os excepcionais, um dos mais categorizados grupos ingleses nas salas onde têm desfilado as maiores atracções mundiais nos maiores espectáculos apresentados em Portugal".

Vasco Morgado apresentava os concertos como um "brinde à juventude portuguesa" e convidava-a depois do "espectáculo de excepcional categoria" a frequentar o Porão da Nau, "a "boîte para frequentar com a sua Exma Família".

Acabado de sair da banda, Alan Price já não veio a Lisboa, tendo sido substituído por Dave Rowberry, na única substituição até então registada na banda. Eric Burdon, Hilton Valentine, John Steel e Chas Chandler eram os restantes músicos.

No dia seguinte, a Imprensa exultou. Escreveu o "Diário de Notícias": "Um aviso: não tragam os Beatles! Será o fim do Monumental - teatro e cinema - a avaliar pelo delírio que ontem provocaram The Animals".

(...)

"Gritos estridentes, ininterruptos, agudos, lancinantes, , um uivo sincopado de yé-yé, definindo quase um sentimento de dor".

"O Século":

"Não é possível fazer crítica (musical) ao espectáculo que Vasco Morgado apresentou ontem 8com um êxito de bilheteira que esgotou duas salas até ao tecto) no Monumental. Eram The Animals e soberbamente ferozes eles se apresentaram com suas jubas, roncos, esgares, etc.

"Impossível distinguir a música que tocaram. De ensurdecer. Ainda por cima, a juventude que formava 97 por cento do público, nada deixou ouvir, com a gritaria infernal com que acompanhou a exibição dos seus ídolos.

"Vejam-se as fotos e avalie-se da histeria colectiva que reinou no Monumental.

"Antes, exibiu-se o grupo do italiano Gino Paoli. É de uma banalidade perfeita. Não aquece nem arrefece. Podia ter ficado em Itália".

8 comentários:

JC disse...

Pois lá estive; 1ª fila da plateia. Deu para fazer coro com o Eric Burdon no "Don't Let Me Be Misunderstood".

ié-ié disse...

E que tal um textozito para o meu bloguezito? Um testemunho na primeira pessoa... Também assobiou Paoli, apupou Henrique Mendes e subiu pró palco?

LT

JC disse...

Já não me lembro de pormenores. Nem sequer se fui à tarde ou à noite. Muitos anos passaram... Lembro-me de uma ou duas pessoas que foram comigo, um deles colega de liceu que ainda encontro por aí, de fazer coro com o Burdon no "Don't Let Me...", de apupar o H. Mendes, mas nem sequer me lembro do Gino Paoli. Tb me lembro bem de os polícias tentarem a todo o custo evitar que nos levantássemos dos lugares para ir para as coxias e para o palco dançar. Como deve calcular, se me lembrasse de pormenores suficientes teria todo o gosto. Nem sequer com o bilhete fiquei e tb não me lembro de como consegui uma 1ª fila.
Lembro-me de ter ido tb uma outra vez ao Monumental ver a Vartan; estávamos todos apaixonados por ela.

ié-ié disse...

Obrigado. Pelo menos, "arranquei-lhe" estas belas impressões que ficam aqui registadas em "comentário".

Muito obrigado.

LT

Yardbird disse...

Também lá estive, se bem que não tenha tido a sorte do JC e tenho ido para o balcão.
Realmente, o tal Paoli era tão bom, que nenhum de nós se lembra dele.
Do que me lembro perfeitamente é que o sistema de som era uma vergonha tal que avariou logo, e estávamos a ver que ficávamos sem Animals, porque o Burdon a certa altura, irritadíssimo, atirou com o microfone e fez menção de sair do palco. O Chas Chandler foi atrás, mas voltaram os dois e o Eric acabou por cantar sem microfone. E ouvia-se em todo o lado!
E lembro-me da polícia, sim senhor. Mas não tiveram sorte. Pelo menos na sessão das 6 e meia, que foi aquela a que fui.
Tive pena que o Alan Price não tivesse vindo por causa da fobia que tinha com os aviões, mas foi um bom concerto, nada do que a "imprensa especializada" escreveu.

DANIEL BACELAR disse...

Eu também lá estive,e claro,delirei!!!
O VASCO MORGADO sabia fazer as coisas,e tinha olho para o negócio.Pelo Monumental,passaram realmente esses grandes nomes da época,inclusivé os SEARCHERS!!!LEMBRAM-SE????
Ele deve ter ganho umas "coroas" valentes com aqueles festivais de "twist" e "rock'nroll",pois eram sempre lotações esgotadas.
Já não me lembro quanto é que pagava,mas na realidade o que a malta queria era tocar e divertir-se,portanto "missão cumprida"para ambas as partes.
Vasco e Alexandrino (seu secretário e topa-a-tudo)onde quer que estejam,muito obrigado,fõram tempos muito bem passados!!!!!

filhote disse...

Enfim, eu ainda não era nascido. Mas se pudesse, teria antecipado o nascimento só para ver os Animals no Monumental! Deve ter sido inesquecível!

"It's My Life and I Do What I Want"

filipe rodrigues disse...

Lá estive na primeira fila do balcão. Passei o tempo todo a apanhar com as mals de duas espanholas. Saí de lá com uma enorme dor nas costas mas......com um sorriso.