segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

CHELSEA HOTEL


"Chelsea Hotel - Quinze Anos/Fifteen Years", Rita Barros, Câmara Municipal de Lisboa, 1999, 80 págs

Rita Barros
é uma fotógrafa portuguesa que mora no Chelsea Hotel, em Nova Iorque, no mesmo quarto (219) onde Arthur C. Clarke escreveu "2001: Uma Odisseia No Espaço".

O Chelsea Hotel, considerado um dos locais mais fantásticos de Nova Iorque, em termos de cult, foi construído em 1883, primeiro como prédio de apartamentos. Até 1884 foi o edifício mais alto de Nova Iorque. Desde 1905 que é hotel.

Segundo o livro, este hotel-residência já teve como moradores grandes mitos como Bette Davis, Jackson Pollock, Mark Twain, David Mamet, O'Henry, Arthur Miller, Dylan Thomas, Vladimir Nabokov, Sarah Bernardt, Tenessee Williams, Thomas Wolfe, Janis Joplin, Dennis Hopper, Virgil Thomson, Deedee Ramone, Bob Dylan, Jane Fonda, Jimi Hendrix, Jim Morrison.

Os Velvet Underground iniciaram aqui os seus ensaios, Andy Warhol aqui filmou "Chelsea Girls".

Também por aqui passaram o poeta russo Voznesensky, o trompetista Don Cherry, o filósofo francês Jean Baudrillard e o poeta beat Gregory Corso.

Muitos por lá gravaram videos e/ou documentários: Jon Bon Jovi, Natalie Merchant, Courtney Love, Quentin Crisp, Woody Allen.

Muitos outros nomes poderiam ser citados. Falta um: Sid Vicious/Nancy Spungen.

Comprei este livro no próprio Chelsea Hotel no dia 16 de Dezembro de 2000 às 14H52M17S por $39.00, então 8.925$00, agora €28.65 (sim, guardei a factura).

O livro está autografado por Stanley Bard, antigo director do hotel, que, sabendo da minha condição de jornalista (minha e do Paulo Barriga), me ofereceu uma interessante visita guiada pelo hotel.

Stanley Bard mostrou-nos um quarto igual, ao lado do quarto 100 (dividido em dois para não se transformar em santuário), onde Nancy Spungen foi morta no dia 12 de Outubro de 1978, negando, do seu ponto de vista, que o companheiro Sid Vicious, dos Sex Pistols, a tenha assassinado.

Bard estava lá, no hotel, à altura, mas não gosta de falar sobre o assunto. Acho mesmo que nunca falou publicamente sobre o crime.

O livro não fala do incidente que nunca, verdadeiramente, foi esclarecido na sua totalidade.

Sid Vicious acabou por morrer (ou suicidou-se por overdose de droga ou foi morto pela Mãe pelo mesmo método) no dia 01 de Fevereiro de 1979, outro incidente não totalmente esclarecido.

Leonard Cohen terá escrito "Chelsea Hotel # 2" a pensar na sua amante do hotel, Janis Joplin.

Outras (conhecidas) canções que referenciam o hotel: "Sara" (Bob Dylan), "Chelsea Morning" (Joni Mitchell), "Chelsea Girl" (Nico), "Why Should I Worry" (Billy Joel), "Chelsea Lovers" (Dave Stewart), "Third Week In The Chelsea" (Jefferson Airplane), "Hotel Chelsea Nights” (Ryan Adams), "We Will Fall” (Stooges), "Like a Drug I Never Did Before” (Joey Ramone), "Chelsea Avenue” (Patti Scialfa), cortesia da Wikipedia.

LPA

5 comentários:

Abel Rosa disse...

Mr Ié-Ié não perde uma....cá está o troco da placa Hotel Chelsea.

Luis Mira disse...

Acho que vi a exposição desta rapariga, com as fotografias do Chelsea, na Galeria 111, ali para o Campo Grande...

Humberto disse...

E esta? Não dá ponto sem nó.
Eu bem ontem perguntei se tinha sido com essa intenção.
Quem sabe, sabe.

filhote disse...

E ainda podíamos falar, no relation, sobre o Chelsea Drugstore.

ié-ié disse...

Mas olha que hay brujas, Filhote! A fotógrafa Rita Barros mandou-me agora mesmo um email a dizer que abre 5ª feira uma exposição dela em Lisboa.

Não acreditam em bruxas? Las hay, las hay.

Já agora, o Chelsea Drugstore já foi por aqui tratado:

http://guedelhudos.blogspot.com/search/label/Chelsea%20Drugstore

LT