sábado, 20 de dezembro de 2008

CHARLES AZNAVOUR


BARCLAY - 70929 - edição francesa

Paris Au Mois D'Aout - Sur Le Chemin Du Retour - Il Fallait Bien - Parce Que Tu Crois

Charles Aznavour é acompanhado pela orquestra de Paul Mauriat.

2 comentários:

Rato disse...

Mais uma capa 5 estrelas! Dantes havia mesmo artistas nestes domínios.

OF disse...

Depoimento de Charles Aznavour:

Fui das pessoas que melhor a conheceu [Amália]. (...) Éramos amigos de longa data. Conheci-a na Bélgica, na véspera de ela dar um concerto em Monte Carlo. Passámos a noite inteira a cantar e a conversar, e de madrugada disse-lhe: “Tem um avião para apanhar, não?” Prometemos rever-nos, fizemos um espectáculo a dois em Lyon, ainda ela não era a vedeta que viria a ser. E quando ela me disse que nunca tinha cantado em francês, escrevi-lhe uma canção: “Ai mourir pour toi” (em 1957).

[Amália] Cantou-a e gravou-a. Eu traduzi-a assim, porque a sonoridade de “Mourir pour toi” me lembrava “Mouraria”. Foi a primeira canção em francês que ela cantou.

Gravei duas músicas sobre Portugal: “Lisboa” e “Fado Fado”. Gosto muito de fado, que é, verdadeiramente, canção. Se um fado tem um texto do Pessoa, eu sei o peso que isso tem. Sei quem é Pessoa, li as suas traduções, conheço melhor o passado da canção portuguesa do que a “nouvelle chanson”. Lembro-me bem do Alfredo Marceneiro, que se calhar os jovens portugueses não conhecem. Portugal foi o segundo país estrangeiro onde pus os pés, depois da Espanha. Em espanhol canto fluentemente, mas o português é demasiado próximo do francês e do espanhol, e por isso mais difícil.

Fonte: Revista Única (2008-02-09)