domingo, 27 de setembro de 2015

AMOREIRAS: 3 DÉCADAS


Jornal de Negócios, 4 de Setembro de 2015.

Interessante texto de Fernando Sobral nos 30 anos do Centro Comercial Amoreiras, em Lisboa.

As Amoreiras serão o 7º centro comercial de Lisboa, depois do Cruzeiro (1951), Sol A Sol (1967), Tutti Mundi, actual Roma (1968), Apolo 70 (1971),  Imaviz (1975) e Fonte Nova (2 de Março de 1985).

Em 1985, quando foi inaugurado, as Amoreiras eram o maior centro comercial português e o quarto maior da Europa. O projecto em papel contava com 112 fogos para habitação, três torres de 16 andares para escritórios e 330 lojas.

Foi o primeiro espaço comercial na cidade a receber desfiles de moda e muitas marcas se estrearam no centro como a GAP, por exemplo.

Cidade sem controvérsias não é cidade, disse à época o então presidente da Câmara, Nuno Abecasis, a propósito da polémica que gerou o projecto arquitectónico de Tomás Taveira.

Mas o primeiro centro comercial português com estas dimensões terá sido o Brasília, no Porto, inaugurado no dia 9 de Outrubro de 1976.

8 comentários:

filhote disse...

Estive na inauguração... bem divertida!

E trabalhei na extinta One-Off.

Rato disse...

O Centro Comercial de Alvalade é anterior às Amoreiras. Lembro-me de lá ir muitas vezes nos fins dos anos 70, princípios dos 80.

Anónimo disse...

Eh eh, ainda cheguei a comprar discos na One-Off.

PS : visitei em visita de estudo da faculdade, as Amoreiras, talvez por 84

Anónimo disse...

O CC Aries, em Paço de Arcos junto à antiga estação da CP, é de meados ou finais de 70.
Comprei lá o 1º dos Dead.

ié-ié disse...

Também comprei muitos discos na One-Off.

Tenho de ver as datas dos centros comercial citados.

Obrigado!

LT

José disse...

A One Off estava muito recheada de novidades antigas da série nice price e vindas da Alemanha na segunda metade dos oitenta, depois de aberto o Mercado Comum da CEE. Comprei alguns discos que agora ando a comprar outra vez nas versões originais.
Quando ia a Lisboa era paragem obrigatória, para ver novidades em disco. Do outro lado do rés do chão, em frente ao super mercado havia uma loja de hifi e que uma vez tinha lá umas KEF dignas de serem ouvidas.

ié-ié disse...

Mais tarde, houve depois, lá em cima, a Bimotor e até uma Valentim de Carvalho.

Na altura em que se faziam e vendiam discos...

LT

Carlos Marecos disse...

Também houve uma discoteca "Strauss".
A loja Hi-Fi era, salvo erro, a Transom?